Amor Ilimitado - A dor de amar demais.

sábado, 15 de dezembro de 2007

BONECÕES DE SANTANA DA PARNAÍBA.UMA TRADIÇÃO DA FAMÍLIA VILLAR.


Desfile de Cabeções é tradição no Carnaval de Santana de Parnaíba



O folião que pretende passar os dias de carnaval em Santana de Parnaíba não perde por esperar. O município, que fica apenas a 35 km da capital, conta com um carnaval de rua folclórico e muito animado, com atrações exclusivas como os cabeções – a cidade é a única em todo o país a manter a tradição. Os bonecões, presentes em várias cidades brasileiras, também são produzidos em Parnaíba e integram a festa.

Cabeções e bonecões são personagens folclóricos que fazem parte da história da cidade desde 1930. Feitos de papel sobreposto – uma mistura de água sanitária, farinha de trigo e papel – eles simbolizam o tradicional carnaval de rua do município, um dos poucos no Brasil que ainda conta com atrações tipicamente folclóricas. Os bonecões, por exemplo, cuja estrutura é uma armação feita em madeira, chegam a medir três metros de altura e pesam cerca de 20 quilos.

As caracterizações são muitas e atualizam-se todos os anos. Além de fantasmas, caveiras, diabos e personagens de terror, como o vilão Freddy Krueger, do filme “A Hora do Pesadelo”, vários representantes da cena política atual são caracterizados, entre eles, o presidente Luís Inácio Lula da Silva, seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso e seu correligionário, Geraldo Alckmin.

Como não poderia ser diferente, o prefeito de Santana de Parnaíba, Benedito Fernandes, também não escapou da brincadeira. As novidades de 2005 ficam para os bonecos de Roberto Carlos – que recentemente realizou um show em comemoração ao aniversário da cidade –, a apresentadora do SBT, Adriane Galisteu, o ex-boxeador Adilson “Maguila” Rodrigues e o jurado Pedro de Lara. O terrorista saudita Osama Bin Laden, e o ex-presidente iraquiano, Saddam Hussein, são outros nomes conhecidos internacionalmente e que também fazem parte do acervo da Secretaria de Cultura, que hoje conta com sessenta personagens, entre cabeções e bonecões.

História
Os Cabeções são parte da cultura local desde 1930, quando João Santana Leite iniciou a confecção dos bonecos. Em 1972, Leite ensinou Holmes Villar a fabricá-los, e o projeto foi tocado até 1982, data de seu falecimento. A partir desta data, quem cuida com carinho da prole é Holmes Villar Filho, mais conhecido como Tito, funcionário da Oficina Cultural do município, que está na fase final da produção para o ano de 2005.

Quem defende a importância de se manter a tradição dos cabeções e bonecões é Toninho Macedo, idealizador e diretor artístico do Revelando São Paulo, evento promovido anualmente pela Secretaria Estadual de Cultura. “Em diversas cidades ainda vemos a presença de bonecões, mas Santana de Parnaíba é o único lugar no país onde ainda existem os cabeções, e essa tradição não pode se perder”, alerta Macedo.


Publicado por: Imprensa Santana de Parnaíba
19/01/2005

Um comentário:

Anônimo disse...

Oi Miguel é um prazer saber que em nossa região a cultura dos Bonecões está tão bem assistida.Sou de Caraguatatuba e comecei nessa área há 5 anos trabalhando pela prefeitura,admiro seu trabalho e espero um dia ser referência em minha cidade assim como é na sua!Parabéns